Atuação

❱ Auditoria

Destacam-se dois tipos de auditoria: a interna e a externa (para certificação). A relação dessas auditorias com a temática da gestão da energia e as normas do ABNT/CB-116 e ISO/TC 301 é retratada a seguir.

Genericamente, no caso da auditoria interna, o processo é executado por um profissional qualificado que normalmente faz parte da organização auditada. Ela define o profissional para realizar a atividade que, por exigir dedicação e atenção, geralmente é um especialista da área dentro da organização. A auditoria interna é mais utilizada nas checagens iniciais referentes às normas e regulamentações, de modo que funciona como uma espécie de consultoria dentro da organização.

Mais especificamente, para um sistema de gestão da energia (SGE) conforme ISO 50001, há previsão de que sejam realizadas auditorias internas do SGE em intervalos planejados, de modo que a organização tenha informações sobre o SGE, como por exemplo: se o SGE melhora o desempenho energético; sua conformidade com requisitos da própria organização para o seu SGE, com a política energética, objetivos e metas energéticas estabelecidos pela organização; além de verificar se o SGE está eficazmente implementado e mantido. A ISO 50001 ainda estabelece que a organização deve definir o(s) programa(s) de auditoria interna, estabelecer os critérios e o escopo para cada auditoria, além de selecionar auditores de modo a assegurar a objetividade e imparcialidade do processo de auditoria.

O conceito de auditoria energética, ou diagnóstico energético, é apresentado na ISO 50002 – Energy Audits – Requirements with guidance for use (e sua versão brasileira a ABNT NBR ISO 50002 – Diagnósticos energéticos – Requisitos com orientação para uso). Esta norma especifica os requisitos de processo para a realização de um diagnóstico energético em relação ao desempenho energético, tendo estreita ligação com a etapa de revisão energética dentro da implementação de um Sistema de Gestão da Energia.

Já a auditoria externa, de forma geral, se caracteriza como um processo de averiguação realizado por um auditor externo, ou seja, um profissional independente e sem vínculos com a organização em questão. Assim, é comum a opção pela auditoria externa para garantir ainda mais a credibilidade do processo. No caso da auditoria externa visando a certificação, o auditor deve possuir a devida formação e os registros necessários para atuar na área.

Destaca-se que a auditoria do sistema de gestão da energia de uma organização por sua vez é tratada na ISO 50003 – Energy management systems – Requirements for bodies providing audit and certification of energy management systems (e sua versão brasileira ABNT NBR ISO 50003 – Sistemas de gestão de energia – Requisitos para organismos de auditoria e certificação de sistemas de gestão de energia). Esta norma especifica os requisitos de competência, consistência e imparcialidade em auditorias e certificação de sistemas de gestão de energia (SGE) para organismos que prestam estes serviços.

Parceiros de Normalização