NOTÍCIAS
 
Seminário discute fontes alternativas de energia para o campo
10/6/2019

A vulnerabilidade do setor agrícola e pecuário diante das mudanças climáticas tem estimulado a busca de soluções, principalmente, em relação à produção alternativa de energia.

Para discutir o assunto, no dia 11 de junho, será realizada a sexta edição do Seminário Ambiental com o tema “Mudanças Climáticas e Formas Alternativas de Energia”.

O objetivo é mostrar um panorama atual do setor e alternativas que produtores podem investir para amenizar os impactos. O evento, que é realizado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), será em Belo Horizonte.

De acordo com a analista ambiental da Faemg, Mariana Pereira Bastos, o seminário tem o objetivo de reforçar as questões ambientais em virtude do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no último dia 5 de junho.

“No seminário, temos a oportunidade de mostrar um pouco o que a Faemg tem feito na área ambiental, com programas sólidos e muitas das ações alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no meio rural. Procuramos cumprir a agenda dos ODS. Todos os seminários que já realizamos trataram temas fundamentais para o melhor uso dos recursos e para estimular a produção sustentável no campo”, explicou Mariana.

Este ano, o tema do seminário foi definido em função das atividades agrícolas e pecuárias estarem entre as mais vulneráveis às mudanças climáticas e para mostrar outras fontes de energia que podem ser acessadas e produzidas no campo para se ter eficiência energética.

“Vamos apresentar as oportunidades e os desafios desse tema. A gente entende que, com os recursos naturais disponíveis no Brasil, é possível alavancar essa agenda e gerar benefícios econômicos e sociais para toda a população. O produtor rural, por exemplo, pode investir nessas áreas. A população geral também será beneficiada, pois terá uma nova oferta de energia, geração de empregos e maior qualidade de vida. Entendemos que o mercado de baixo carbono veio para ficar e o Brasil tem tudo para se tornar líder nessa matéria”, completou.

Em debate – O evento também vai discutir as oportunidades de geração e comercialização de energia no setor agropecuário, entraves regulatórios que ainda impedem o crescimento da geração de energia no campo e a oportunidade de geração e potencialidades para as melhorias da energia elétrica no campo. Dentre as alternativas estão a produção de energia através de placas solares e biodigestores, por exemplo.

“Nós, do setor agropecuário, temos grande potencial de contribuição para a diversificação da matriz energética nos próximos anos. Minas Gerais, por exemplo, é o maior produtor de energia solar fotovoltaica. Precisamos vencer as barreiras burocráticas para ganhar escala”, afirmou.

O evento, cujas inscrições são gratuitas, contará com diversas palestras e debates ao longo do dia. O seminário é voltado para técnicos, estudantes, produtores rurais e especialistas.

Entre as palestras, estão: os Principais Desafios do Agro Mineiro em Relação às Mudanças Climáticas; O Agro na Conferência das Partes (COP) do Clima; e Estratégias de Uso de Energia Solar em Propriedades Rurais.

Fonte: Diário do Comércio

 

Notícias anteriores

 
Abrinstal - Associação Brasileira pela Conformidade e Eficiência de Instalações