NOTÍCIAS
 
Furnas lança projeto ambiental Educar para Preservar
20/4/2018

Foi lançado na última segunda-feira, em São José da Barra (MG), o projeto socioambiental Educar para Preservar. A iniciativa é uma parceria de Furnas Centrais Elétricas com o Instituto Efort e a Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago).

Durante os próximos meses, uma carreta de 15 metros de extensão – equipada com sala de aula multimídia, experimentos didáticos, palco e sala de reunião – percorrerá 39 cidades da região para desenvolver junto a estudantes e professores atividades pedagógicas focadas na preservação do meio ambiente e conservação de energia.

O Educar para Preservar vai contar também com um site exclusivo para que os educadores possam realizar pesquisas e dar continuidade a seu treinamento. Ao final do programa, eles receberão um certificado correspondente a 50 horas de aula.

Segundo o diretor de Engenharia de Furnas, Cláudio Guilherme da Motta Branco, o Educar para Preservar complementa o projeto lançado pela empresa no final de 2017 para restabelecer a mata ciliar no entorno de 400 nascentes que contribuem para a formação do reservatório.

Para o presidente da Alago, José Eduardo Terra Vallory, o Educar para Preservar contempla um dos grandes desafios dos gestores públicos: a educação ambiental. “Este projeto é uma grande responsabilidade de Furnas e de nós, cidadãos”, afirmou. “Talvez não vejamos o resultado deste trabalho nos nossos mandatos, mas vamos colher seus frutos nos futuro”, complementou.

Diretora do Instituto Efort, Regina Maciel afirmou que o Educar para Preservar tem caráter permanente. “Vamos priorizar a formação dos professores. Além do certificado, eles terão condições de criar planos de aulas e atuar como multiplicadores, podendo atuar em novas comunidades”, explicou. Ela acrescenta que a plataforma de comunicação do projeto publicará notícias sobre educação dos municípios beneficiados e tem caráter interativo.

O Educar para Preservar começa a receber estudantes nesta terça-feira (17/4), em São José da Barra. Para a secretária de Educação do município, Luciene Mandello, estrear o programa é uma grande satisfação.

“Eu acho que qualquer ação voltada à preservação do meio ambiente é sempre necessária. Uma diferença do projeto é a interatividade. As crianças de hoje são muito conectadas, demonstram mais interesse em atividades que envolvem a tecnologia e são muito criativas. Isto também incentiva o professor a se capacitar”, avalia.

A previsão é de que o Educar para Preservar sensibilizará, direta e indiretamente, 300 mil pessoas, sendo aproximadamente 60 mil estudantes.

Fonte: Furnas Centrais Elétricas

 

Notícias anteriores

 
Abrinstal - Associação Brasileira pela Conformidade e Eficiência de Instalações