NOTÍCIAS
 
Alubar planeja diversificar produtos
24/5/2018

Buscar novos mercados e expandir a capacidade de produção são os objetivos da Alubar para este ano.

A empresa, que é líder na América Latina na fabricação de cabos elétricos de alumínio e produtora de condutores elétricos de cobre para média e baixa tensão, está investindo em tecnologia e planejando novos produtos com foco nas necessidades do mercado nacional.

Novos tipos de condutores estão com lançamento previsto para 2018. Uma das grandes novidades será cabo HTLS, feito de alumínio com fios trapezoidais e alma de fibra de carbono. O gerente de Engenharia e Processos da Alubar, Anderson Pratta, explica que este é um produto novo no mercado e que oferece uma série de vantagens na conexão de torres de transmissão de energia.

“Esse cabo é mais leve e tem uma resistência superior aos de alma de aço. Os fios trapezoidais fazem o diâmetro ser menor e, por ser mais compacto, ele contribui no dimensionamento de projeto de torres de transmissão. Você consegue fazer espaçamentos maiores entre uma torre e outra, otimizando o custo”, relata Anderson.

Outro produto novo da Alubar será o cabo para bombas submersas, que possui vedação total para ser utilizado na instalação de bombas dentro de poços artesianos, e o fio de alumínio liga 6061, que se destina à fabricação de alças pré-formadas, utilizadas como acessórios e insumos para emendas de cabos em linhas de transmissão. A empresa também lançará o cabo para inversor de frequência - que possui larga aplicação na indústria - e o cabo coberto de dupla camada, para tensão de até 37 kv.

A elaboração de novos produtos é fruto do plano de expansão da Alubar, que pretende ampliar sua capacidade de produção de 80 para 100 mil toneladas ao ano até 2021. Para os próximos dois anos, a Alubar também está desenvolvendo condutores para uso em telecomunicações, automóveis e instalações subterrâneas, com tecnologias sustentáveis e adequadas às necessidades dos clientes.

O planejamento é voltado para o mercado nacional, considerando projetos de construção de hidrelétricas e expansão da rede de distribuição de energia no Brasil. “Alguns dos novos produtos que começamos a desenvolver serão finalizados no decorrer deste ano. Outros são projetos mais extensos, que precisam em torno de 2 anos para serem finalizados. Esses projetos com mais prazo exigem investimentos e demandas de maior porte, alguns inclusive serão feitos em parceria com outros fabricantes”, explica Pratta.

Fonte: Revista da Instalação

 

Notícias anteriores

 
Abrinstal - Associação Brasileira pela Conformidade e Eficiência de Instalações