NOTÍCIAS
 
Economia em casa reduz até 25% dos gastos das famílias
9/8/2018

A economia feita dentro de casa a partir do uso racional de energia elétrica e de água, alimentação e transporte é uma importante aliada na redução dos gastos das famílias no final do mês.

A economista Maria Angélica Luqueze, professora de pós-graduação da FAAP, calcula que os pequenos valores economizados podem representar uma economia de 10% a 25%, conforme os gastos, o padrão de vida e o tamanho da família.

"São pequenos valores que, somados ao longo do mês, representam uma diferença significativa, e o recurso que sobra pode ser utilizado para investimento ou para lazer, por exemplo", pontuou. O corte de gastos é mais que bem-vindo, já que as tarifas dos serviços essenciais não param de subir.

A conta de luz é um exemplo dessa alta e tem pesado cada vez mais no bolso do consumidor. Entre 2014 e 2017, a tarifa média dos consumidores residenciais acumula alta média de 31,5% no País e a estimativa é de que, ao final deste ano, o aumento acumulado chegue a 44%.

O levantamento foi feito pela Abrace (Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres).

Consumo

O gerente de Eficiência Energética da CPFL Energia, Felipe Zaia, considera que a melhor estratégia para evitar o desperdício dentro de casa e possíveis aumentos na fatura é conhecer os aparelhos que causam maior impacto no consumo.

Assim como o ar-condicionado no calor, o chuveiro elétrico é o principal responsável pelos gastos no frio, tanto de energia quanto de água. Ao utilizá-lo no modo inverno, o acréscimo no consumo é de até 30% em relação ao modo verão.

De acordo com a CPFL, somente o chuveiro é responsável por entre 25% e 35% dos gastos na conta de luz nos meses mais frios.

"É importante que os consumidores também coloquem em prática hábitos mais conscientes no consumo de energia para manter o conforto e bem-estar sem impactar a conta de luz", declarou Zaia.

A dona de casa Ana Lúcia Marques, 56, dá o exemplo quando o assunto é economia de energia elétrica e de água em casa. Ela afirma que o uso consciente vai além da questão financeira. "Lógico que a gente economiza, mas penso muito na preservação do meio ambiente, nas futuras gerações", destacou.

Prática vem de 30 anos atrás

Ana Lúcia Marques diz que começou a adotar medidas de economia dentro de casa há cerca de 30 anos. "Comecei apagando todas as lâmpadas dos ambientes onde eu não estava", afirmou. Formada em letras no final de 2017, Ana Marques esperava todos os alunos saírem da sala de aula para, na sequência, apagar as lâmpadas e desligar o ar-condicionado. "Até esperar chegar o responsável para desligar tudo, estaria gastando do meio ambiente."

Ao se banhar, Ana diz que sempre fecha a torneira do chuveiro enquanto está se ensaboando. Enquanto escova os dentes, faz o mesmo.

Na cozinha, a dona de casa ensaboa toda a louça com a torneira fechada e somente no final abre a torneira para lavar tudo.

"Fico de olho no termostato da geladeira e diminuo a intensidade quando está mais frio. Só abro a geladeira depois de saber tudo o que vou pegar." Tamanha economia proporciona uma conta de luz bem enxuta no final do mês: em 20 de agosto, Ana Lúcia terá de pagar R$ 51,54 à CPFL referente aos gastos de julho.

Plano B é fundamental

A economista Maria Angélica Luqueze considera que, aliado às ações para economizar dentro de casa, ter um plano B é fundamental hoje para complementar a renda. "A empregabilidade está muito difícil", pontuou.

Um dos exemplos é aproveitar o trajeto de ida e volta do trabalho para atuar como Uber. "Peguei Uber esses dias e o motorista fazia isso diariamente. Com a renda a mais ele conseguia pagar o combustível do mês", afirmou.

O trabalhador pode também aproveitar um dote culinário para começar a vender comida, ou talvez usar o talento para fotografia para fazer cliques dos clientes.

"Essa segunda atividade tem que ser em um horário que não dificulte a rotina da casa nem o desempenho no primeiro emprego", orienta.

Veja como economizar dentro de casa

ÁGUA

- Feche as torneiras: evite lavar louça, escovar os dentes e fazer a barba com a torneira aberta. Se for usar a máquina de lavar louça, espere encher para fazer a lavagem;

- Verifique os vazamentos: torneira vazando água é desperdício. Conserte ou troque se estiver com esse problema;

- Eficiência: regule temporizadores de descarga e de torneiras. A economia supera 50%;

- Programa de lavagem: conheça os modos de lavagem da máquina e escolha o mais adequado para cada tipo de roupa;

- Reaproveite: utilize a água onde você lavou as roupas para lavar o quintal, por exemplo;

- Carro: evite lavar o carro ou lave-o com um balde em vez de mangueira;

- Jardim: para regar as plantas utilize regador;

Calçada: use a vassoura para varrer e balde para lavar.

ENERGIA ELÉTRICA

- Apague as luzes: ao sair de ambientes que não estão sendo utilizados, não deixe as lâmpadas acesas;

- Iluminação natural: aproveite a luz do dia, deixando as janelas da casa abertas. Utilize cores claras nas paredes, pois facilita que a iluminação natural permaneça por mais tempo;

- Reduza o tempo no banho: o chuveiro é um dos vilões da conta de energia no modo inverno, o acréscimo no consumo é de cerca de 30% em relação ao modo verão;

- Horário do banho: programe banhos para os inícios ou finais de tarde, quando a temperatura ainda não caiu muito;

- Limpeza: mantenha limpos os orifícios da passagem de água do chuveiro;

- Duchas: modelos de duchas eletrônicas, que permitem uma regulagem mais apurada da temperatura, determinam gastos menores com energia;

- Troque as lâmpadas: economia com uso das lâmpadas de LED chega a 60% em comparação às incandescentes;

- Organize: acumule a quantidade de roupas equivalente à capacidade máxima da máquina de lavar. E passe as roupas de uma só vez. Além disso, evite passar roupa quando diversos aparelhos elétricos estiverem ligados ao mesmo tempo;

- Temporizador: utilize os temporizadores da televisão e do ar-condicionado a favor da economia e evite dormir com esses aparelhos ligados;

- Manutenção: verifique a vedação do ar-condicionado, da geladeira e do forno elétrico, já que podem gastar muita energia com mau isolamento;

- Geladeira: só abra a porta quando necessário e evite deixá-la aberta por muito tempo;

Compre eletrodomésticos econômicos: a classificação A representa os mais eficientes no uso da energia elétrica.
ALIMENTAÇÃO

- Saiba o consumo da família: compre apenas a quantidade de comida necessária, já que o estoque pode levar ao desperdício. Hoje há até aplicativos que sugerem receitas com os ingredientes que a pessoa tem em casa;

- Refeições em casa: comer fora pode gerar altos gastos;

- Consuma frutas e verduras da época: é uma boa maneira de consumir pagando pouco e diversificar a alimentação.

RENDA EXTRA

- Hoje há várias formas de ter uma renda extra. Você pode montar o próprio negócio ou investir em algum hobby, como cozinhar;

- Economize a quantia obtida nesses trabalhos para construir as suas reservas financeiras. E também para realizar os sonhos da família, como fazer uma viagem, por exemplo.

TRANSPORTE

- Carro: pode gerar gastos enormes. Para isso, procure meios de locomoção alternativos, como a bicicleta e caminhada. São gratuitos e você ainda beneficia a saúde;

- Horários: você também pode organizar os horários para ir ao trabalho pelo mesmo trajeto da escola dos filhos. Assim, você já economiza tempo e dinheiro.

Fonte: A Cidade ON

 

Notícias anteriores

 
Abrinstal - Associação Brasileira pela Conformidade e Eficiência de Instalações